Hoje formada em engenharia civil, Fernanda Silmara (24 anos) passou por muitas dificuldades durante a infância pobre no bairro Alecrim, em Natal-RN, onde morava numa casa de taipa e tijolo branco. Ela conta que sempre relutava em chamar as amigas para visitar sua casa devido às condições em que a família vivia. Certo dia, porém, ela resolveu fazer o convite e teve uma grande decepção. Uma amiga disse que a casa de Silmara cheirava mal, história que ela conta emocionada.

A partir dessa situação constrangedora e de toda aquela condição em que Silmara vivia com sua família, anos mais tarde surgiu o projeto Reforamar, uma associação sem fins lucrativos que atua em Natal desde 2018 com o propósito de transformar vidas através da reforma de lares e instituições de apoio à sociedade.

A ideia de criar o projeto Reforamar também veio de uma necessidade que Fernanda teve de retribuir à sociedade o que seu tio fez por ela, que foi a tão sonhada reforma da casa da família.

“Foi algo que mudou minha vida, eu não falo nem de chegar em casa e me sentir segura, me sentir num lar, mas no âmbito geral, na minha autoestima mudou muito e eu sou muito grata a ele por isso. A partir desse sentimento eu vi que eu tinha que multiplicar isso, o bem que ele me fez”, explica Fernanda.

MÃOS À OBRA

O projeto funciona por meio do trabalho voluntário e da contribuição de parceiros. Em três anos de projeto, o grupo realizou 10 ações beneficentes e já está em processo de arrecadação de materiais para a 11ª reforma, que será na casa de dona Raimunda, residência que os participantes do projeto chamam carinhosamente de “Casa da Superação”.

O grupo recebe doações em dinheiro, materiais de construção, móveis e eletrodomésticos, além da mão de obra, o que é fundamental para a execução dos projetos.

Entre outros critérios, para receber a reforma a família deve ser dona do imóvel, ter baixa renda e entre os moradores deve haver pessoas com idade avançada ou crianças. A inscrição do imóvel deve ser feita por meio do instagram @Reforamar.

“Eu já sabia como aquele sentimento era bom e o que incentivou mais foi a gratidão dos primeiros contemplados. Ali a gente viu que aquilo era significativo e o nosso retorno era maravilhoso.  Agente fala muito que a gratidão deles é o nosso pagamento e um lar digno é muito importante para todos”, disse Fernanda, idealizadora do projeto, em entrevista ao Hora Extra da Notícia, da 91.9 FM, nesta sexta-feira (12).

Como ajudar?

-Doação em valores através do pix reforamar@gmail.com

-Doação em valores através de transferência (CPF 01822296455)

-Doação de materiais de construção (Contato através do Instagram @Reformar)

-Doação de móveis e eletrodomésticos (Contato através do Instagram @Reforamar)

-Sendo um voluntário.

Assista à entrevista completa no vídeo abaixo: